Grupos em andameto e explicações

1º Desenho Livre – Expressão de nossos símbolos.

“Somente a observação individual traz o conhecer simbólico do individuo para o individuo, não há conhecimento que não venha a ser construído fora da expressão e expressividade individual.”

Breve Histórico :

O desenho livre começou a ser utilizado como canal de comunicação terapêutico  em 1876 na Inglaterra, são estes os primeiros registros da técnica e serviam como um balizador das condições mentais de criminosos e alienados da sociedade.

No início do século XX a Psiquiatria começa a desenvolver um trabalho mais sistematizado da utilização do desenho e da pintura,  com destaque para Médicos e Psiquiatras na Suíça, Alemanha, Itália e Inglaterra cada um desenvolvendo a utilização para diferentes casos clínicos, nomeadamente aqueles onde a terapêutica usual e não internativa eram desaconselhadas.

Em uma época onde a internação era um “emparedamento vivo” para todo o sempre como solução, os médicos que buscam conduzir um trabalho diferenciado alcançam diversos resultados positivos com as práticas artísticas em geral  em um período de aproximadamente 40 anos que vai de1906 a1946 e a partir destes trabalhos pioneiros vem se sistematizando técnicas com diversos materiais diferentes.

Desenvolvimento do grupo:

Os grupos de desenho livre tem como principal característica a segurança que transmitem aos participantes de forma isolada que podem através do grupo ver outras pessoas expressando o seu viver através de um formato não linear e sem obrigatoriedades técnico-artisticas.

Em um grupo de desenho livre a individualidade é mantida pela liberdade de tema em um primeiro momento estabelecendo o espaço individual de cada participante para então ir aos poucos crescendo para um espaço do grupo onde os desenhos de um complementam o dos outros em uma atividade que traz o foco para a influência que podemos causar a nossa volta e com isso exponenciar o olhar para uma reintegração  aos processos sociais que acabamos por deixar de vivenciar em nosso processo psíquico.

Como é feito o trabalho :

Encontros semanais de  90 minutos onde mesclamos os trabalhos livres com cópias, temas dirigidos e  colorização e temos dentro de nosso espaço diversas interações com variação de tamanhos de susbtrato e material seco  a ser aplicado sobre.

O Grupo desenvolve seu trabalho em um crescente onde determinadas sessões são dedicadas a promoção conjunta de temas que se interligam, primordialmente nas sessões de desenho livre temos :

1-  Desenho Individual.

2 – Temas compartilhados.

3 – Abordagem do Outro.

4 – Desenho Seqüencial.

5 – Montagem de Story Board.

O que pode ser  utilizado pelo grupo :

–          Lápis.

–          Papel A4 em Branco.

–          Cartolinas.

–          Papel colorido.

–          Pasta para guardar trabalhos.

–          Lapiz de colorir.

–          Giz cera.

–          Caneta Hidrocor.

 

 

 

 

2o  Mandala Terapia – Desenhando o seus insights.

“A atividade orgânica do criador é a síntese daquilo que se expressa como símbolo sem uma atividade verbal necessária a sua manifestação.

Aquele que cria o faz pelo contato mais intimo de seu ser”

 

Breve histórico :

A mandala é um desenho feito e emoldurado dentro de um círculo.

Várias culturas através dos tempos tem se utilizado de desenhos circulares como uma forma de expressão de suas vivências e visão da realidade.

Isto porque os ciclos e formatos circulares pertencem a uma unidade que naturalmente nos cerca e faz parte de nossa vivência diária é uma forma orgânica que “vive” na natureza desde os átomos, células até a forma dos planetas….

Círculos representam  integralidade e uma conexão com a experiência humana em muitas formas.

Carl G. Jung é considerado o homem que revigorou a simbologia da mandala  na cultura ocidental e reestruturou nosso atual entendimento e sua importância psicológica.

Desenvolvimento do grupo:

O trabalho de grupo é muito interessante pois através da observação e integração com o trabalho do  “outro”, cada um de nós consegue entender que uma expressão artística orgânica não necessita ser uma obra de arte e sim algo interno e significativo mesmo inconscientemente para nós, ao vermos o grupo trabalhando e seu movimento em torno de um resultado  somos estimulados a trilhar em segurança o caminho de nossa descoberta e aprendemos a partilhar esta experiência.

Como é feito o trabalho :

Encontros semanais de  90 minutos onde são feitos trabalhos envolvendo a expressão artística de cada participante através do desenho de mandalas onde buscamos criar um campo cognitivo onde o participante possa criar laços seguros entre seus anseios e forma de interação e expressão com o mundo que o cerca.

Criamos dentro do espaço do grupo 4 momentos distintos  :

1o – Mentalização e reflexão para entrarmos na atividade.

2o – Tempo da criação e exposição em papel de seu desenho.

3o – Tempo de escrever  e datar nosso desenho.

4o – Exposição individual para o grupo de sua obra com Q&A.

5o – Conversas, insights  e exposição do terapeuta sobre mandalas.

as etapas2 a4 podem ocupar uma sessão ou várias dependendo das necessidades expostas pelo grupo, a etapa 1 acontece em todas as sessões como forma de trazer o grupo para estar pleno no encontro.

As atividades 2 e 3 possuem diversas formas de serem conduzidas e feitas e suas variações vão acontecer naturalmente no desenvolvimento do grupo.

A atividade 5 tem como objetivo açúcar a capacidade de analise e pensamento de cada um dos participantes.

O que pode ser  utilizado pelo grupo :

–          Caneta..

–          Bloco desenho A4.

–          Bloco Desenho A3.

–          Apostila de Mandalas.

–          Papel A4 em Branco.

–          Pasta para guardar trabalhos.

–          Lapiz de colorir.

–          Crayons.

–          Giz cera.

–          Caneta Hidrocor.

–          Guache.

–          Moldes de círculos.

 

3o  Colagem e Recorte  – Montando o mundo a partir do que já não é.

“Olhar para o que já não é com a síntese de ser novamente reaviva em cada um o sentimento do útil e exponencia aquilo que já deixamos e podemos reviver”

 

Breve histórico :

Inexistem registros históricos da atividade de colagem enquanto formato terapêutico,  credita-se sua origem ao trabalho de reciclagem de material realizado pedagogicamente em escolas principalmente as de origem metodista nos USA em meados  do século XX.

A utilização terapêutica em adultos provou ser uma técnica extremamente eficaz por não vincular um aspecto artístico transformando o fazer em uma pressão que obriga determinadas pessoas a abrirem mão de sua  criatividade em prol de uma estética que ele julga pré definida.

Na colagem cada um de nós se sente livre e agente transformador do material em conteúdo puramente simbólico.

Desenvolvimento do grupo:

Nesta atividade, o grupo busca nos materiais, idéias que possam expressar e comunicar seus sentimentos, emoções  em relação ao tema.

O planejamento, o direcionamento, e a atenção do paciente, ajudam na estruturação de sua vida.

É um recurso que permite ao grupo  planejar, analisar, ficar atento, concentrado, organizado e paciente.

Criar a partir daquilo que já existe, dando uma nova forma ou utilização a algo que já esta descartado de sua função principal, a colagem nos permite expressão via a reciclagem, o despertar de nossos símbolos pela desconstrução de algo já existente, o aflorar de tudo aquilo que é novo e consegue se manifestar inspirado pelo material a nossa frente.

As vezes pode ser uma ponta de jornal, a frase de uma revista ou um pequeno papel rasgado e prateado de um embrulho..

 

Como é feito o trabalho :

Encontros semanais de  90 minutos onde  trabalhamos com uma infinidade de papéis recicláveis que estão disponíveis para serem  cortados e colados de acordo com a composição que vai ser feita.

Revistas, papéis coloridos, plásticos, papéis de presente usados, jornais, adesivos, sementes, copos… se encontram entre os materiais que podem ser cortados.

O grupo se mobiliza também através do trazer material que  julgue válido para o trabalho e através deste trazer acaba por participar em uma negociação e explicação de sua idéia que vai aos poucos aumentando sua capacidade de interação.

Utilizamos como instrumentos de trabalho principal a tesoura, cola bastão e cola colorida para criar nossas intervenções em papéis variados e preferencialmente com gramatura superior.

 

O que pode ser  utilizado pelo grupo :

–          Tesoura.

–          Papel.

–          Sementes.

–          Material de reciclagem.

–          Cola colorida.

–          Cola bastão.

–          Plásticos.

–          Jornais.

–          Revistas.

–          Cartolina.

–          Papel Duplex.

 

4o   Poesia & Escrito Terapia :

“A poesia é uma das mais profundas expressões  artísticas  do ser humano em conseqüência emoções são liberadas ao escrever.

Um poema é a menor distância emocional entre o Poeta e o leitor.”

 

Breve histórico :

A Poesia Terapia surgiu como forma de  trabalho terapêutico no Século XIX na Pensilvânia, pacientes internados que estivessem em estados considerados graves pré ou pós cirúrgicos e sem a capacidade de ler ou escrever sozinhos eram acompanhados por voluntários que liam e refletiam sobre estas leituras estimulando estes pacientes a falar e expor de uma forma figurativa através do ato seus anseios, dúvidas e vontades.. esta aplicação pioneira foi sendo mais e mais sistematizada pelos excelentes resultados obtidos e com o tempo se transformou em um sistema de apoio terapêutico completo dividido em duas grandes linhas a poesia terapia e a journal (como um diário onde se expressa pensamentos e opiniões) therapy.

De1997 a1999 foi feito nos EUA um extenso trabalho por Médicos associados a  AMA (associação médica americana) sobre a validade da ação terapêutica dos trabalhos de Poesia e Leitura Terapia em grupos de pacientes Asmáticos e com Artrite Reumatoide, as conclusões deste trabalho foram muito positivas demonstrando que a aplicação de técnicas onde os pacientes expunham de forma escrita  e conduzida por terapeutas de suas grandes “expectativas emocionais” em relação a doença e o que ela os limitava mostrou que os grupos que estavam participando dos trabalhos de terapia apresentavam um quadro de melhora superior aos que simplesmente tomavam remédios, inclusive nos grupos estudados todos os pacientes com o tempo diminuíram as doses de medicação, sendo este o objetivo inicial da pesquisa, criar mecanismos terapêuticos onde a diminuição dos remédios utilizados fosse possível através de um apoio psíquico.

 

Desenvolvimento do grupo:

O trabalho de grupo é muito interessante pois através da vivência e exposição dos assuntos trazidos pelo “outro”, cada um de nós consegue exprimir em forma de 3a pessoa nossos anseios e passamos assim a olhar para dentro de nós em uma perspectiva totalmente diferente.

O grupo enquanto unidade dá segurança e intimidade para o debate e a exposição de idéias e vivências que se julguem importantes para cada um dos outros integrantes naquele momento, este trabalho oferece a cada participante a segurança de estar em um ambiente onde seu entendimento será apreciado, admirado e  confortado em  contra ponto a possibilidade de exposição diária em seu grupo de convivência imediato que pode não estar sintonizado nas necessidades e anseios desta pessoa.

Como é feito o trabalho :

Ao estabelecer um sistema que permite “dar voz” a assuntos intrapessoais que isoladamente podem parecer embaraçosos ou difíceis de se vivenciar a poesia terapia cria um campo de cognição onde a expressão se torna lúdica e a verbalização segura o que aumenta a sensação de alivio e auto estima em relação aos confrontos internos  vivenciados por cada ser humano.

Nosso intento é alcançado em encontros semanais de 90 minutos  onde são feitos trabalhos que variam de uma série de premissas do Terapeuta que envolvem entre outros :

–          Leitura de poesia e comentários verbais ou escritos.

–          Criação de poesia a partir de fragmentos pré determinados.

–          Poesia em grupo.

–          Interpretação poética.

–          Diários e exposições.

–          Trabalhos feitos em casa.

–          Jornal da emoção.

–          Debate poético.

–          Técnicas de expressão em 3a pessoa.

Estas formas de contato com o emocional são trabalhadas e  estimuladas em cada uma das sessões onde a tônica é sempre a criação deste espaço onde o lúdico se funde a buscas individuais.

Como complemento do trabalho em grupo  cada um dos participantes recebe mensalmente “tarefas individuais” que são exploradas como um momento personalizado de suas descobertas.

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s